Como praticar a gratidão tem mudado a minha vida

Há alguns anos atrás um amigo me falou sobre um livro que faz o seguinte desafio: ficar sem reclamar por 21 dias. Mas não pode reclamar de nada, nada mesmo. Nem mesmo comentários do tipo “Nossa, que frio…”. Difícil, né?

pare-de-reclamar-da-segunda-feira-e-aproveite-a-semana-1975

O livro propõe que você utilize algo que pode mudar de lugar, por exemplo, um anel, uma pulseira ou até mesmo carregar uma moeda no bolso. A cada vez que você se flagra reclamando de algo, você muda esse objeto de lugar. Por exemplo, muda a pulseira do braço esquerdo para o braço direito, e o pior: a contagem de dias zera.

Lembro que na época tentei fazer o desafio por algum tempo, mas não consegui passar de dois dias sem reclamar. Mas o mais legal de tudo isso é que a gente se depara com a quantidade de vezes que a gente se queixa, e como na maioria das vezes são por coisas simples.

Em 2014 fui a um evento do TEDx aqui em São Paulo. Uma das palestras era da Deborah Dubner sobre a atitude da gratidão. De fazermos dela uma prática no nosso dia a dia.

Esses dois episódios que aconteceram em épocas diferentes me marcaram de alguma forma. Ficaram como um projeto futuro: um dia vou tentar de novo ficar sem reclamar e começar a agradecer mais.

De uns meses pra cá resolvi que antes de dormir eu ia agradecer por algo. Nos primeiros dias era um agradecimento simples e aleatório de algo que tinha acontecido no meu dia. Com o passar das semanas, me vi agradecendo por várias coisas que eu não dava valor: ter um teto pra morar, comida na mesa, pela vida da minha família, pelo namorado parceiro que eu tenho, por ter um emprego, etc.

E como tudo isso se relaciona?

A gente tem como hábito reclamar de qualquer coisa. Da comida que está sem sal, da roupa que não está caindo bem, dos nossos pais que pegam no nosso pé, de ter um chefe chato ou um trabalho que não paga tão bem. E com isso a gente se fecha e para de olhar para as pequenas coisas que a nós temos e conquistamos a cada dia.

Quando comecei a praticar mais a gratidão, percebi a vida incrível que eu tenho. Tem coisas que eu quero melhorar e evoluir? É claro que sim. Mas ao invés de ficar me lamentar pelo o que eu não tenho, eu olho para tudo que já  fiz até hoje e sinto orgulho de mim. E isso me dá muito mais força e garra para correr atrás das outras coisas que eu quero.

Com esse processo, percebi que aos poucos o número de reclamações que eu fazia foi diminuindo e consequentemente o meu nível de estresse por coisas pequenas também. E eu tenho sentido uma paz interior e uma plenitude tão grande que, sinceramente, tenho estranhado.

Resultado disso tudo:

A Garota Enxaqueca que morava em mim deu espaço para uma Hayama Good Vibes. Obviamente não sou a personificação da Paz de Espírito 100% do tempo, mas com certeza eu sou uma pessoa mais tranquila e feliz. Mas acima de tudo grata pela vida.

be-grateful

Se você quiser, pode conferir a palestra da Deborah Dubner aqui e baixar o pdf do livro “Pare de Reclamar e Concentre-se nas coisas boas” aqui.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s